Avaliação dos Fatores que Influem nas Medidas Lineares do Cavalo Pantaneiro

RESUMO – O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de sexo, sub-região, idade de registro e ano de nascimento sobre 15 medidas lineares (altura da cernelha, altura do dorso, altura da garupa, altura dos costados, comprimento da cabeça, comprimento do pescoço, comprimento dorso-lombar, comprimento da garupa, comprimento da espádua, comprimento do corpo, largura da cabeça, largura do peito, largura da anca, perímetro do tórax e perímetro da canela) do Cavalo Pantaneiro. Foram analisados dados de 1.214 animais coletados pela Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Pantaneiro – ABCCP, no período de 1972 a 1991, usando os procedimentos PRINCOMP, CORR e GLM do SAS e o programa GENES. O sexo, a idade do animal na hora do registro, sub-regiões e ano de registro foram fontes significativas de variação. Os animais, em geral, apresentaram tamanhos pequeno a médio, sendo que os animais da sub-região de Corumbá foram, geralmente, maiores que os de outras sub-regiões. A melhor época para avaliar as medidas morfométricas dos animais seria a partir dos 4 anos de idade. As correlações entre altura de cernelha, altura do dorso e altura da garupa foram altas e positivas, porém entre as outras medidas lineares, médias e baixas. No método de agrupamento, também houve variação de tipo de animais.

Autores: Márcia Gabriel Miserani1, Concepta McManus2, Sandra Aparecida Santos3, Joaquim Augusto da Silva4, Arthur da Silva Mariante5, Urbano Gomes Pinto de Abreu6.

Veja o artigo na íntegra: http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbz/v31n1s0/10313.pdf