Teste hiposmótico para avaliação da viabilidade do sêmen eqüino resfriado com diferentes diluidores

RESUMO

Utilizou-se o teste hiposmótico (HO) para estudar a capacidade de preservação da membrana plasmática do sêmen eqüino resfriado em diferentes meios. Estimou-se a correlação entre os resultados do teste HO e os exames de rotina aplicados ao sêmen, usando-se sêmen de sete garanhões. Cada ejaculado foi diluído em três meios, Kenney (K), Baken com 3% de gema (B3) e Baken com 10% de gema de ovo (B10), e resfriado a 5o C. Avaliaram-se a motilidade total (MT), a motilidade progressiva (MP), o vigor espermático (V), a porcentagem de espermatozóides morfologicamente normais (NOR) e os resultados do teste HO no sêmen fresco e a cada 24 horas pós-resfriamento. A longevidade espermática foi considerada como o tempo de manutenção da motilidade espermática progressiva superior a 10% do sêmen diluído e resfriado. Maior longevidade espermática foi obtida nas amostras diluídas em meio B3. Os resultados do teste HO sugerem que os diluidores à base de gema de ovo preservaram melhor a membrana plasmática. Foram obtidos valores de correlação (P<0,05) entre o teste HO e a motilidade espermática (MT=0,57; MP=0,59), e correlação baixa entre HO e NOR (0,16).

Autor: M.I.V. Melo, M. Henry, A.R.C.L. Beker

Veja o artigo na íntegra: http://www.scielo.br/pdf/abmvz/v57n6/28759.pdf