Histopatologia das lâminas do casco de equinos com laminite aguda induzida e tratados com ketoprofeno, fenilbutazona e flunixin meglumine

RESUMO

Avaliaram-se as alterações histológicas do tecido laminar, obtido por biopsia, em 20 equinos portadores de laminite induzida por sobrecarga de carboidratos e tratados com ketoprofeno, fenilbutazona ou flunixin meglumine. A biopsia foi colhida dos dígitos torácicos 72 horas após a indução. Os achados histológicos foram comparados com os achados de amostras de equinos isentos de laminite. Infiltrado inflamatório neutrofílico foi observado em 80%, congestão em 50%, hemorragia em 35% e hiperplasia na túnica íntima das arteríolas das lâminas dérmicas primárias em 15% das amostras. As taxas de microtrombos e coágulos foram 15% e 20%, respectivamente. Estes achados parecem decorrer dos distúrbios circulatórios que ocasionaram edema, congestão e hiperemia, seguidos de degeneração. Em 70% das análises realizadas nos animais tratados, as lesões histológicas foram inferiores aos graus de claudicação observados. Conclui-se que a biopsia de tecido laminar digital de equinos é viável, os artefatos decorrentes da técnica de biopsia não prejudicam a análise histológica das amostras e os anti-inflamatórios não esteroidais não são capazes de evitar as lesões laminares quando administrados após o início da sintomatologia clínica de laminite.

Autores- F.O. Paes LemeI; F.A.B. BonnaII; C.A. De MarvalIII; S.H.N. XavierII; R.L. SantosI; R.R. FaleirosI; G.E.S. AlvesI

Veja o artigo na integra –  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-09352010000200001