INDICADORES DE METABOLISMO E PROTEÍNAS INFLAMATÓRIAS EM POTROS CRIOULOS SUBMETIDOS A DIFERENTES SISTEMAS DE CRIAÇÃO

[Cod. Trabalho : 1949]

PÔSTER

CAMILA GERVINI WENDT  (UFPEL – BRASIL)/AUTOR PRINCIPAL
LORENA ALVARIZA AMARAL  (UFPEL – BRASIL)/AUTOR
ILUSCA SAMPAIO FINGER  (UFPEL – BRASIL)/AUTOR /APRESENTADOR
MILLIE DE OLIVEIRA MARCHIORI  (UFRGS – BRASIL)/AUTOR
BRUNA DOS SANTOS SUÑE MORAES  (UFPEL – BRASIL)/AUTOR
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA  (UFPEL – BRASIL/AUTOR 

Palavras-chave: Equinos;Raça Crioula;Sobrepeso;Metabolismo energético;Proteínas de Fase Aguda

Resumo:

Os atuais sistemas de criação de equinos estão associados às dietas ricas em carboidratos que resultam em sobre peso e acúmulo de gordura nesses animais. Esse acúmulo de gordura gera um processo inflamatório crônico que afeta todo o organismo do animal, predispondo a inúmeros problemas clínico-metabólicos. O objetivo deste estudo foi avaliar as concentrações séricas de indicadores de metabolismo e inflamação em Potros Crioulos submetidos a sistemas de criação extensiva e intensiva. O estudo foi desenvolvido em criatórios de equinos da raça Crioula localizados nas cidades de Pelotas, Pedras Altas, e Bagé no estado do Rio Grande do Sul. Foram avaliados 53 potros, sem alterações clínicas, divididos em dois grupos: o grupo de criação extensiva (G1), composto por 21 animais com 18 meses de idade, que sempre foram mantidos soltos em campo nativo, sem suplementação alimentar e que apresentavam condição corporal de 5 – 6 (escala de 1 -9). O grupo de criação intensiva (G2), composto por 32 animais com 18 meses de idade, mantidos em condição de confinamento com restrição de movimento e dietas ricas em concentrado, e apresentavam condição corporal entre 7 – 9 (escala de 1 – 9) conforme descrito por Henneke et al. (1983). Foram realizadas coletas de sangue para avaliação bioquímica e eletroforese bidimensional. As análises de Triglicerídeos, Colesterol Total, Colesterol LDL, Colesterol HDL, foram realizadas por espectrofotometria. Para obtenção da concentração das frações proteicas, utilizou-se a técnica de eletroforese em gel de poliacrilamida contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE), utilizando-se como referência uma solução marcadora (Sigma – Saint Louis, EUA) para identificar as proteínas (Albumina, Glicoproteína Ácida, Proteína de Peso Molecular de 23 kDa, Transferrina, Ceruloplasmina, Haptoglobina e IgA). Os dados que não apresentaram distribuição normal foram transformados para log na base 10. Para comparação entre médias foi realizado o teste de Tukey sendo considerado significante p<0,05. Para as análises de IgA, Ceruloplasmina e Haptoglobina foi realizado o teste de Kruskal – wallis. Os dados estão apresentados como média + desvio padrão. Os potros do sistema extensivo apresentaram valores superiores (p<0,05) de Triglicerídeos (G1:43,60+9,45; G2:29,23+11,55) que os potros do sistema intensivo o que pode estar relacionado à mobilização lipídica. Os animais do sistema intensivo não diferiram dos animais do sistema extensivo nas análises de HDL. Os níveis de Colesterol Total (G1:104,60+12,36; G2:139,03+19,21) e colesterol LDL (G1:41,36+11,72; G2:75,25+19,84) foram superiores (p<0,05) nos animais do sistema intensivo, demonstrando que estes apresentam fatores de risco associados à obesidade. Na avaliação das proteínas de fase aguda foi observado que o grupo de animais em sistema intensivo apresentou concentrações séricas mais elevadas (p<0.05) que os animais em sistema extensivo e os valores estão expressos respectivamente: Albumina (3520,7+310,54; 3757,6+362,85), Glicoproteína Ácida (5,56+5,57; 8,01+4,93), Proteína de Peso Molecular de 23 kDa (333,25+49,18; 403,80+87,38), Transferrina (406,78+78,31; 650,67+108,26), Ceruloplasmina (12,81+6,75; 16,31+4,71), Haptoglobina (73,31+22,40; 97,38+34,43) e IgA (184,11+74,05; 318,75+55,09). Os adipócitos secretam proteínas de fase aguda que, direta ou indiretamente, elevam a produção e circulação de fatores relacionados com a inflamação e o aumento dessas proteínas pode ser considerado um sinalizador do processo inflamatório. Os dados obtidos neste estudo demonstram alterações no perfil energético e inflamatório de animais jovens com sobrepeso, submetidos a um sistema intensivo de criação. Através da utilização desses marcadores foi possível observar a presença de alterações metabólicas e da reação de fase aguda em animais jovens com sobrepeso. Sendo, portanto um alerta para os equívocos cometidos durante o manejo nutricional que poderão comprometer o futuro atlético do animal.

Clique aqui e confira o Banner: 1º Lugar em Fisiologia ou Nutrição