Babesiose em cavalos atletas portadores

RESUMO

Este trabalho teve como objetivo avaliar a ocorrência clínica da babesiose em equinos atletas e sua importância no desenvolvimento de doenças intercorrentes. No período de 12 meses, foram avaliados 38 cavalos, identificados como portadores de Babesia equi através do teste de imunofluorescência indireta, participantes de uma das modalidades esportivas: adestramento (n=7); salto (n=8); Concurso Completo de Equitação (n=11) e Pólo (n=12). No período estudado, foram diagnosticados 11 casos clínicos devido a B. equi, o que corresponde a uma incidência de 28,9%. Avaliação clínica e exames hematológicos permitiram identificar queda de desempenho em 5 de 11 animais estudados e ocorrência de anemia em 8 animais avaliados, com diminuição nos valores de eritrócitos, volume globular e concentração da hemoglobina. No período de convalescença, seis dos eqüinos que apresentaram babesiose clínica acidentaram-se, passando a apresentar problemas como claudicação, mialgias, lombalgias ou escoriações e um sofreu fratura de jarrete. Houve interação significativa entre babesiose clínica e a ocorrência de claudicação (P=0,0372) e queda de desempenho (P=0,0009).

Autor: Paulo de Tarso Landgraf BotteonI; Rita de Cássia Campbell Machado BotteonII; Tatiana Pessoa dos ReisIII; Carlos Luiz MassardIV

Veja o artigo na íntegra: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782005000500023