Artéria basilar em equinos mestiços: origem, morfometria e ramos principais

Resumo: O objetivo desta investigação foi caracterizar a origem, morfometria e ramos principais da artéria basilar em equinos adultos mestiços de ambos os sexos. A fixação foi feita através de cânula plástica introduzida na artéria carótida comum com solução de formaldeído a 10%. Em seguida foram feitas repleções vasculares com solução aquosa de Petrolátex S65 corado com pigmento Suvinil vermelho. Procedeu-se a craniotomia, remoção dos encéfalos e dissecção para a observação da origem e ramificações principais da artéria basilar. A média mais erro padrão da média do comprimento da artéria basilar foi de 3,629 cm ± 0,1550 nos machos e 4,423 cm ± 0,1990 nas fêmeas (p=0,0037). Em todos os equinos dissecados a artéria basilar se originou da convergência das artérias vertebrais, emitindo a artéria cerebelar caudal, ramos variados para bulbo e ponte, ramos terminais e artérias cerebelares rostrais. A artéria basilar apresentou maior comprimento nas fêmeas.
Autor: Sara O.S. Moraes 1, Carlos A. dos Santos-Sousa 2, Marcelo S. Gomes 2, Paulo O. Scherer 2,
Marcelo Abidu-Figueiredo 2.