Perfil bioquímico e capacidade antioxidante total em cavalos de polo suplementados com selênio e vitamina-E

RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar as alterações bioquímicas e da capacidade antioxidante total (CAT) em cavalos de pólo, e o efeito da suplementação de selênio (Se) e vitamina E (Vit-E) sobre esses parâmetros. Dezesseis equinos aleatoriamente divididos em dois grupos, GE/Se (suplementados com Vit-E e Se) e GC (grupo controle), participaram de um jogo de polo com quatro períodos (chukkas) de 7 minutos. Cada cavalo competiu em dois chukkas, com 7minutos de intervalo. Amostras de sangue foram colhidas 15min antes do jogo (basal), ao final do 1o e 2o chukkas e 24h, 48h e 72h após o término da competição. Foram analisadas as atividades séricas da aspartato aminotrasferase (AST) , creatinoquinase (CK) e lactato desidrogenase (LDH), a glicemia e lactatemia e a capacidade antioxidante total (CAT). Os valores de aspartato aminotrasferase, creatinoquinase e lactato desidrogenase não apresentaram diferenças significativas entre o GE/Se e o GC. A atividade de AST e LDH aumentou significativamente em relação ao valor basal (P=0,097) e (P=0,0002), respectivamente, e permaneceram elevadas por mais tempo no GC. A CK não apresentou variações significativas em relação ao basal em ambos os grupos. A lactatemia aumentou significativamente após cada chukka, comparada ao basal e foi maior no GC que no GE/Se após o primeiro chukka (P<0,05). A CAT foi significativamente menor (P=2,90-25) após o primeiro chukka, retornando aos valores basais após 24 horas, porém sem diferença entre os grupos. Conclui-se que a suplementação com vit-E e Se não influencia nos parâmetros avaliados. O exercício alterou o perfil bioquímico e a CAT sem causar lesões, sugerindo um bom condicionamento físico e adequada proteção antioxidante nos animais estudados

Autor – Waldsylvio Silva VieiraI Isabella Manes Soutto Mayor da Motta RodriguesII Natália Pereira Lopes FradeIII Cristiane Divan BaldaniIV Rita de Cassia Campbell Machado BotteonIV Paulo de Tarso Landgraf BotteonIV*

Veja o artigo na integra – http://revistas.bvs-vet.org.br/crural/article/viewFile/22060/22880