NOVO MÉTODO DE COLHEITA FRACIONADA DE SÊMEN PARA MELHORIA DA FERTILIDADE EM GARANHÃO COM VESICULITE SEMINAL

[Cod. Trabalho : 1907]

PÔSTER

REPRODUÇÃO DE EQUÍDEOS

Autores: SIDNEI NUNES DE OLIVEIRA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR PRINCIPAL /APRESENTADOR
LUIZ ROBERTO PENA ANDRADE JUNIOR  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
LUIS FERNANDO MERCÊS CHAVES SILVA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
ENDRIGO ADONIS BRAGA DE ARAUJO  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
FELIPE MORALES DALANEZI  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
PATRICIA M PAPA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
CAMILA PAULA FREITAS-DELL`AQUA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
RAFAELLA MIKI HAYASHI  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
FELIPE P HARTWIG  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
MARCIO TEORO DO CARMO  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
JOSE ANTONIO DELL`AQUA JR  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
MARCO A ALVARENGA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR
FREDERICO O PAPA  (UNESP – BOTUCATU – SP – BRASIL)/AUTOR 

Palavras-chave: colheita fracionada;sperm clean;piospermia;hemospermia;inseminação artificial

Resumo:

A vesiculite seminal em garanhões é caracterizada pela presença de bactérias e neutrófilos na última fração do ejaculado, comprometendo diretamente a viabilidade espermática pela liberação de espécies reativas de oxigênio e promovendo diferentes graus de endometrite pós-cobertura nas fêmeas pela monta natural, quando utilizados animais sem um diagnóstico prévio adequado, causando prejuízos econômicos à indústria equina. Desta forma, a colheita de sêmen fracionada, além de ser um método diagnóstico para essa patologia, pode ser utilizada para separar a fração rica em espermatozoides, não contaminada, para posterior inseminação. O objetivo desse trabalho foi comparar a fertilidade do ejaculado de garanhão com vesiculite seminal na monta natural, com o de inseminações utilizando a fração A (FA) do sêmen colhido do mesmo animal na realização do teste de fertilidade. No grupo 1 (G1), seis éguas foram controladas por ultrassonografia durante o ciclo estral, e ao constatar a presença de um folículo de 35mm e edema uterino grau 3, a ovulação foi induzida e, após  24h, a monta natural controlada foi realizada. Após ser diagnosticado com vesiculite seminal pela ultrassonografia das glândulas sexuais acessórias, pela presença de neutrófilos e cultivo microbiológico positivo da última fração do ejaculado, colhido fracionado do garanhão utilizado no G1, foram utilizados sete ejaculados para o Grupo 2 (G2), colhidos no setor de Reprodução Animal e Obstetrícia Veterinária da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Unesp – Botucatu – SP, através de uma vagina artificial com dimensões modificadas e uma mucosa descartável, denominada sperm clean. As frações do ejaculado foram separadas por pinças em: Fração A correspondente ao 1º e 2° jatos e rica em espermatozoides, Fração B composto pelo 3º e 4° jatos e com menor número de células espermáticas e Fração C correspondente ao 5° e demais jatos e que apresenta contaminação purulenta pelo local da infecção. Em seguida, apenas a FA foi utilizada, na qual foram mensurados: volume (mL), concentração espermática (x 106 sptz/mL) e cinética espermática (MT, MP e RAP) através do sistema CASA. Foram realizados cultivos microbiológicos nessa fração do ejaculado e não foram isoladas bactérias patogênicas, com isso, as inseminações foram realizadas com uma dose inseminante de 1 x 109 sptz móveis diluída em BotuSpecial no volume máximo de 20mL. No G2, foram utilizadas sete éguas sem histórico de endometrite e que na presença de um folículo de 35mm e edema 3, a ovulação foi induzida com 1mg de Deslorelina e inseminada 24h depois, com a FA do sêmen a fresco. O diagnóstico de gestação ocorreu 12 dias após as ovulações por ultrassonografia transretal. A análise estatística foi realizada pelo teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov, Tukey e Kruskal-Wallis, com um nível de significância de 5%. A FA dos ejaculados utilizados no teste de fertilidade apresentaram os resultados de cinética espermática: MT (89,1±1,1), MP (35,7±2,0) e RAP (81,5±2,4). Os valores de fertilidade através da monta natural controlada com garanhão apresentando vesiculite foi 0% (0/6)a e das inseminações com a FA do ejaculado obtido pela colheita de sêmen fracionada com mucosa “sperm clean” foi de 71% (5/7)b, com p-valor 0,0034. Nenhuma das éguas inseminadas com FA apresentou líquido no útero 24h após as inseminações. Portanto, a colheita de sêmen fracionada, utilizando a mucosa “sperm clean”, permitiu a utilização do sêmen de garanhões com vesiculite seminal, cuja fertilidade estava comprometida. Desta forma, esta técnica, permite o retorno da fertilidade de animais antes impossibilitados de se utilizar na reprodução, sem comprometer a saúde uterina das éguas. Entretanto, faz-se necessário a realização de outros estudos para comprovar e melhor aperfeiçoar o método, a fim de se obter toda a segurança necessária, por se tratar de um processo patológico e comprometer a vida reprodutiva das éguas.

Clique aqui e confira o Banner : 1º Lugar em Reprodução