Tripanossomose em equinos na região sul do Brasil

Resumo: Trypanosoma evansi é um protozoário da seção salivaria, agente etiológico da doença conhecida como Mal das Cadeiras ou Surra em equinos[36]. Apresenta ampla distribuição geográfica parasitando equinos, camelos, bovinos, caprinos, ovinos, suínos, cães, gatos, búfalos, elefantes, capivaras, quatis, antas, veados, pequenos roedores silvestres [36] e humanos [19].T. evansi pode ser transmitido mecanicamente por insetos e morcegos hematófagos [21].Em cães e equinos, o protozoário produz sinais clínicos tais como anemia, edema de pernas e partes baixas, letargia, perda de apetite, emagrecimento, febre intermitente, lacrimejamento e aborto[5,23,28,33-35,46]. Para o diagnóstico da tripanossomose podem ser utilizados exames parasitológicos, imunológicos e moleculares [38,43,44]. No Brasil, quando constatada infecção por T. evansi, o aceturato de diminazeno é o produto comumente utilizado no tratamento de animais domésticos, por apresentar altos índices terapêuticos, apesar do grande número de casos com recidiva da doença após terapia [4,27]. No Brasil, o T. evansi afeta principalmente equinos e a prevalência da infecção varia de região para região [14,20]. A doença é enzoótica em equinos do Pantanal matogrossense [33]. Já na região sul do Brasil, foram diagnosticados em 2002 e 2003 surtos e casos isolados em equinos de infecção por T. evansi em propriedades dos municípios de São Sepé e Alegrete [6,26,28].

Autor: Aleksandro Schafer da Silva 1, Olmiro Adair Silveira de Andrade Neto 2, Marcio Machado Costa 1, Patrícia Wolkmer 1, Cinthia Melazzo Mazzantti 3, Janio Morais Santurio 3, Sonia Terezinha dos Anjos Lopes 3 & Silvia Gonzalez Monteiro 3

Veja o artigo na íntegra : Tripanossomose em equinos na região sul do Brasil